Você está aqui: Página Inicial / Edições / Edição95 / Opinião - Tudo começa no ouvir

Opinião - Tudo começa no ouvir

por Administrador do portal 05/11/2013 10h03

 

Lá estava eu em um curso de aperfeiçoamento da comunicação. Meu objetivo era aprender técnicas capazes de aperfeiçoar minhas habilidades comunicativas para melhor fazer o meu trabalho. O excelente professor nos trouxe uma visão brilhante da importância de nos comunicar com clareza e relevância. A aula transcorria maravilhosamente bem, e ficou melhor quando entrou em cena um outro professor. Bastaram alguns poucos minutos para perceber que estava diante de uma pessoa fantástica.

Era surdo. Nasceu com uma síndrome raríssima que o lançou num grande silêncio. Nunca ouviu um som sequer. Venceu heroicamente essa natural limitação conseguindo entender através da leitura labial e facial tudo quanto se falava. Deu-nos por quinze minutos um  reve histórico de sua vida. A eloquência, a riqueza do seu vocabulário, a clareza de suas ideias impactaram-me. Abriu seu curto discurso com uma frase que, tenho certeza,  viverá por muito tempo dentro de mim: “Eu sou surdo, mas a maioria das pessoas que conheço não sabe ouvir”.

Ironicamente aquela pessoa surda revelou-se alguém com uma incrível capacidade de ouvir. Como um enorme clarão a iluminar tudo, ficou evidente que uma comunicação bem-sucedida tem início no ato de ouvir bem para então poder se falar bem.

Aperfeiçoar a oratória, perder o medo de falar em público, argumentar de maneira clara, são competências fundamentais a qualquer pessoa na posição de administrador ou líder dentro de uma organização. Isto por si só evitaria enormes problemas de comunicação que, via de regra, são a raiz de tantos conflitos geradores de perda de tempo, dinheiro e eficiência. Porém, melhorar a qualidade da emissão é apenas resolver uma parte do problema.

Na posição de administração de uma
organização você pode ser um chefe ou um líder. Se escolher ser este último, então verá que ouvir bem será a base
de toda a comunicação com o grupo de
pessoas que você dirige rumo aos objetivos
definidos. Afinal, se você tem “ouvidos para ouvir, ouça!”, já dizia o maior líder que eu já conheci.

O receptor também precisa estar preparado para receber a informação qualificada. A sabedoria popular tem razão quando de maneira simples diz: “Para um bom entendedor, meia palavra basta”. Quando é boa a recepção, o emissor nem precisa se esforçar muito com a qualidade daquilo que fala.

Saber ouvir é algo tão ou mais importante do que saber falar. Comunicar-se não é apenas a arte de se expressar, mas a incrível habilidade de ouvir bem. Aguçar a escuta, aprimorar o ouvir é algo mandatório para pessoas na posição de liderança dentro das organizações. Ser um ouvinte competente vai trazer um enorme diferencial para os líderes, pois ouvir seus liderados, clientes, fornecedores e mesmo concorrentes, o colocará numa posição muito privilegiada.

Leia a matéria na íntegra. Assine a RBA ou acesse online.

DR. Eduardo Rosa Pedreira é professor de Sustentabilidade Corporativa da Fundação Getúlio Vargas e coautor do livro “Gestão Sustentável de Negócios”.

Ed.96 Setembro/outubro

Edições Anteriores