Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / CFA / 10 dicas para decidir entre duas ótimas ofertas de emprego

CFA

10 dicas para decidir entre duas ótimas ofertas de emprego

Comments
por imprensa 31/07/2014 16h22
Na dúvida entre duas propostas, você escolherá a que paga mais?

Escolhas sempre envolvem apostas e riscos. Como optar por esta ou aquela área, este ou aquele emprego, quando a sua trajetória pode ser desenhada de tantas maneiras diferentes?

A decisão é particularmente difícil quando todas as oportunidades profissionais à sua disposição são, cada qual à sua maneira, atraentes. Talvez você sinta que os dois convites mereceriam o seu “sim” - mas é preciso deixar um deles para trás.

Segundo Felipe Brunieri, consultor de recrutamento na Talenses, essa avaliação exige muitos cuidados. “Você precisa saber o máximo possível sobre as duas empresas, sobretudo informações vindas de quem está dentro delas”, afirma.

Isso significa buscar conhecidos que trabalham com os seus potenciais empregadores, e perguntar a eles alguns detalhes sobre a rotina, o ambiente e a “vida real” da empresa.

Brunieri também recomenda pedir a opinião de familiares e amigos. “Pessoas próximas, que sabem o que é importante para você, podem contribuir muito para uma decisão sensata”, diz o consultor.

Com a ajuda dele, EXAME.com listou alguns fatores dignos da sua consideração ao escolher entre dois ou mais empregos interessantes. Confira:

 

1. Saúde financeira da empresa

Avaliar o momento que o seu possível empregador vive é muito importante. “É bom saber por exemplo, se a empresa está crescendo ou se há demissões a caminho”, afirma Brunieri.

Não se trata de descartar um empregador que passa por um mau momento. “Os problemas podem ser passageiros, ou você pode aprender muito com eles”, diz o consultor. O  importante é evitar surpresas.

 

2. Perspectiva de ascensão

Segundo Brunieri, você também precisa vislumbrar quais seriam as suas possibilidades de crescer em cada empresa a curto, médio e longo prazo.

“Na hora de comparar as duas ofertas, vale observar qual mais favorece a meritocracia e oferece um plano de carreira mais sólido”, aconselha o consultor da Talenses.

 

3. “Química" com o gestor

Outro conselho do consultor é escolher o chefe que mais combine com a sua personalidade e seus valores.

Na entrevista de emprego, você terá a chance de conhecer um pouco do perfil do gestor. Se ainda restarem dúvidas, aconselha Brunieri, vale pedir mais informações sobre ele ao RH da empresa.

 

4. Escopo de trabalho

Na hora de comparar duas ofertas, é importante avaliar qual oferece as atividades que mais se adequam às suas expectativas e aspirações profissionais.

Você gosta do que vai fazer naquela empresa? Percebe a relevância estratégica que sua atuação pode ganhar com o tempo? Segundo Brunieri, estudar com cuidado a sua futura função é essencial para descobrir qual convite vale mais a pena.

 

5. Força da marca da empresa

Como o seu potencial empregador é visto pelo mercado? Tem uma marca consolidada? Vai agregar reputação ao seu currículo? Embora não deva ser o único fator considerado, a força do nome da empresa merece alguma atenção.

Mas não há certo ou errado. “Uma pequena startup também pode ser interessante, por exemplo, se a sua ideia for crescer com ela”, diz o consultor.

 

6. Remuneração

Para Brunieri, o salário não necessariamente é o que deve definir a  escolha. “Abraçar uma proposta apenas porque ela paga bem, a longo prazo, pode resultar em uma grande frustração”, afirma ele.

De qualquer forma, a recompensa financeira tem peso significativo na decisão. Assim, o olhar deve ser dirigido para o pacote anual total, incluindo-se benefícios e facilidades.

 

7. Possibilidades de aprendizado

A contrapartida esperada de um emprego não deve ser somente o dinheiro. As habilidades e competências que ele poderá agregar também devem ser colocadas na balança, segundo o consultor.

Isso vai de aprendizados técnicos a habilidades de relacionamento. “Uma vaga que exija que você transite por diversas áreas dentro da empresa, por exemplo, pode ser mais interessante do que outra que mantenha você isolado na sua mesa”, afirma Brunieri.

 

8. Ambiente de trabalho

O clima organizacional em que você vai “aterrissar” também deve ser levado em consideração. É importante saber de antemão se o perfil da equipe é cooperativo ou competitivo, por exemplo.

Segundo Brunieri, não existe resposta certa nesse caso. “O importante é que o seu futuro ambiente tenha a ver com a sua personalidade”, explica.

 

9. Desafio a ser resolvido

“Você deve priorizar o emprego que vai lhe render as melhores histórias no futuro”, recomenda o consultor. Isso tem a ver com os “nós” que você precisará desatar enquanto cumprir sua função.

Brunieri recomenda se informar sobre os desafios que esperam por você. Saber qual das duas posições oferecidas a você mais agregam à sua carreira garante uma escolha mais acertada.

 

10. Distância entre casa e trabalho

Sobretudo nas grandes cidades, é cada vez maior o desejo de morar perto do emprego. É bom avaliar o tempo que você gastará no deslocamento até o seu local de trabalho.

O motivo para pensar nisso não é tanto profissional. “Tem a ver com qualidade de vida, o que também merece espaço entre as suas preocupações”, diz Brunieri.

 

Fonte: Exame.com