Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / CFA / Como se dar bem em processos seletivos em inglês

CFA

Como se dar bem em processos seletivos em inglês

Comments
por imprensa 05/07/2016 08h50
Especialistas dão dicas para evitar o "embromation".

São Paulo - O conhecimento da língua inglesa é frequentemente utilizado pelos empregadores como um fator decisivo para a escolha dos candidatos a vagas de emprego. Para verificar o domínio do idioma, os recrutadores analisam desde o currículo recebido – observando o nível de conhecimento declarado e o método de aprendizado utilizado –, até a desenvoltura da pessoa em testes escritos e orais, a fim de medir a real capacidade de comunicação em inglês. Quem tem o objetivo de conquistar essas oportunidades precisa estar atento para não cometer gafes na hora de comprovar a aptidão. Para evitar que isso aconteça, veja quatro dicas para evitar o “embromation” durante o processo seletivo:

 

1. Estude possíveis temas da entrevista

Ler materiais em inglês sobre os assuntos que poderão ser abordados no dia da entrevista é uma ótima forma para você se familiarizar ou relembrar termos específicos. Pratique escrevendo redações que estimulem a argumentação e a familiarização com o vocabulário. Uma dica é usar recursos online como o Write&Improve (www.cambridgeenglish.org/learning-english/free-resources/write-and-improve). Nele, a pessoa escolhe um tema, escreve seu texto e envia para um sistema que retorna em segundos com um feedback do que pode ser melhorado em termos de gramática e vocabulário. Assim, o nervosismo diminui e as chances de sucesso no momento de pressão são maiores.

 

2. Não se esqueça da pronúncia

Praticar a conversação em torno desses assuntos também é fundamental para evitar deslizes e facilitar a comunicação na hora da entrevista. Para isso, além de treinar com músicas e filmes em inglês, busque vídeos na internet que explorem os potenciais temas que serão abordados e preste atenção em como os termos novos são pronunciados. Se surgir dúvida, uma boa dica é consultar a opção de áudio do Google Tradutor (https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR) . Lembre-se que a boa pronúncia começa, antes de tudo, no ouvido, e se você nunca escutou alguém falando uma determinada palavra, dificilmente vai aprender a pronunciá-la apenas com a leitura.

 

3. Tenha uma certificação internacional (e declare isso no currículo)

Os exames de certificação internacional de proficiência são desenvolvidos com base em padrões internacionais de habilidades e comprovam, de maneira isenta, que a pessoa certificada está apta a se comunicar no nível testado e que não faltará base para as atividades do dia a dia. Justamente por facilitar a seleção dos candidatos mais bem preparados no idioma, eles são muito bem vistos pela maioria das empresas nacionais e multinacionais. Ter uma certificação torna-se especialmente interessante em tempos de crise, quando as vagas estão mais disputadas e os gestores buscam fazer contratações cada vez mais assertivas.

 

4. Avalie o seu desempenho após a entrevista

Depois da entrevista, analise as zonas de desconforto e as dificuldades sentidas durante todo o processo – talvez o examinador tenha até mesmo pontuado questões que não estavam claras ou que podem ser melhoradas no currículo. Conhecendo os pontos de melhoria, é possível investir mais tempo para desenvolvê-los, seja em casa ou em sala de aula com o auxílio do professor, por exemplo. Isso contribui para que você esteja cada vez mais preparado para as próximas oportunidades.

 

Fonte: Você S/A