Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / CFA / Desanimado com a carreira?

CFA

Desanimado com a carreira?

Comments
por imprensa 17/10/2014 11h22
Saiba como se apaixonar novamente pela profissão

Você se formou, conseguiu um ótimo emprego na área ou até mesmo foi promovido durante o estágio.

Tudo caminha da melhor forma em sua carreira, até que em alguns anos – ou, quem sabe, meses – você começa a sentir que escolheu a profissão errada.

Perder a paixão pelo trabalho ou pela carreira escolhida é um problema enfrentado por todos os tipos de profissionais.

No entanto, antes de decidir sair do trabalho para tentar outros caminhos, é preciso avaliar uma série de fatores.

De acordo com a business coach, Dirlene Costa, a primeira razão para um profissional se sentir desanimado com o que faz é sua própria motivação.

“O profissional que tem uma visão de mundo e da vida mais negativa e que tudo é difícil tem a tendência de se desmotivar mais fácil”, explica a especialista.

“Já profissionais com alto grau de resiliência - que é a capacidade de levantar e seguir diante dos desafios - mesmo em ambientes difíceis ficam mais distantes da desmotivação.”

O ambiente, clima organizacional e a forma como a liderança é conduzida em uma empresa também são fatores fundamentais que interferem no engajamento do funcionário.

Além disso, identificar se a insatisfação está ligada à formação que escolheu ou às atividades que exerce em um determinado cargo também é um passo importante para solucionar o problema.

Para Dirlene, profissionais que gostam de desafios e mudanças jamais devem ficar muito tempo em uma atividade. Isso vale também para perfis mais acomodados, que com o tempo se cansam de executar tarefas repetidas.

Nesse caso, a escolher a profissão certa para seu perfil é o primeiro passo para não se sentir desmotivado no trabalho.

“O ‘mesmo’ sempre é uma das causas de desmotivação. Por isso, o profissional deve projetar e planejar sua carreira, determinando desafios para cumprir e tendo uma visão de futuro”, afirma a especialista.

Já em situações em que a desmotivação está diretamente ligada ao cargo ou às tarefas no trabalho, o funcionário deve tentar expor esse problema para seu supervisor a fim explicar a situação e tentar propor novos desafios para sua função.

O melhor momento para fazer isso é em reuniões de feedback, avaliações de desempenho ou em conversas individuais com o chefe.

“Evite ficar reclamando pelos corredores ou com outras pessoas. Ao falar com o líder, leve a situação e se coloque em posição receptiva”, afirma Dirlene.

“Mostre que gosta da empresa, da área e que precisa de novos desafios e que mudanças podem ajudar na sua motivação.”

Outro fator que influencia positivamente o engajamento do profissional é dar sentido à sua função.

“A maioria dos profissionais que se desmotiva ocorre pelo fato de não criar um propósito, trabalham no automático”, explica Dirlene.

Encontrar novas formas de executar as tarefas, ler livros e procurar cursos para aprimorar o trabalho em sua área são algumas das soluções propostas pela coach.

No entanto, caso a única solução para a insatisfação seja a mudança de profissão, é necessário fazer uma autoanálise dos motivos para isso, procurar uma orientação profissional e fazer um planejamento.

“A mudança deve ocorrer quando os ganhos são realmente maiores que as perdas e depois de estudar os melhores caminhos no médio e longo prazo. A visão de curto prazo pode trazer uma visão míope do futuro e uma consequente decepção”, afirma Dirlene.

 

Fonte: Exame.com