Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / CFA / Empreendedorismo é Administração

CFA

Empreendedorismo é Administração

Comments
por imprensa 10/05/2016 09h56
Quer aprender a empreender de verdade? Comece deixando o papo furado de lado

Empreender está na moda. E já era sem tempo. Depois de muito levarem na cabeça perseguindo ilusões como estabilidade e segurança, muitas pessoas estão acordando para o fato de que, para terem uma vida plena e realizada, devem assumir riscos e apostarem em suas ideias. Essas pessoas estão não apenas construindo novas rotas para suas vidas, mas estão ajudando a mudar toda uma cultura secular que ainda reina em nosso país que é, justamente, contrária à inovaçãoe ao empreendedorismo.

A moda de empreender criou inclusive oportunidades para diversos empreendedores. Tem muita gente ganhando dinheiro “ensinando” pessoas a empreender. A fórmula é bastante simples: você aprende uma série de jargões bonitos sobre como vencer na vida e, se não der certo aplicar isso num negócio de verdade, você pode abrir um curso de como empreender ensinando esses mesmos jargões para outras pessoas, num loop infinito.

Eric Ries abre o primeiro capítulo de seu célebre livro A startup enxuta com a seguinte frase: “desenvolver uma startup é um exercício de desenvolveu uma instituição, portanto, envolve necessariamente administração”. Ries é enfático: empreender é administrar. Sempre nutri essa mesma visão, que desafia totalmente o meio acadêmico e seu eterno vício em criar conceitos, muitas vezes sem entender a própria essência daquilo que se pretende conceituar.

Os candidatos a empreendedores costumam torcer o nariz para a Administração. Administrar, segundo eles, é a parte chata, a parte que deve ser delegada a alguém menos talentoso, alguém que não conte com a sua visão privilegiada e sua postura mental vencedora. Parece que o mais importante é ter uma ideia revolucionária, acreditar no seu potencial e compartilhar frases bonitinhas no Facebook.

Para essa turma, o sucesso não é uma questão de esforço inteligente (e bem administrado), mas de destino. Se empreender é algo que se aprende com os erros, esse certamente é o primeiro.

Lembra do filme Karate Kid (o dos anos 80, por favor)? Daniel Larusso, mais conhecido como Daniel San, o franzino protagonista que queria aprender caratê para não apanhar mais na escola, foi ter aulas com o lendário Senhor Miyagi. As primeiras lições pareciam não ter nada a ver com a arte marcial e, inclusive, deixaram Daniel San muito frustrado: ele passava os dias a pintar a cerca, polir o carro e a lixar o assoalho de Miyagi.

Entretanto, lá pelas tantas, Daniel San se viu repetindo naturalmente os movimentos dessas atividades aparentemente nonsense no meio das diversas lutas que veio a travar ao longo do filme, o que foi essencial para que ele desenvolvesse a maestria no caratê.

Empreender tem muito de executar movimentos básicos também. Peter Drucker (sempre ele) evidenciou exatamente isso em Inovação e Espírito Empreendedor, quando disse que empreender “requer, sobretudo, a aplicação de conceitos básicos, a techné básica, da Administração para problemas novos e oportunidades novas”. Drucker, inclusive, credita à Administração o sucesso dos Estados Unidos como uma nação empreendedora.

Empreender vai muito além de pensamento positivo. Se você quer realmente empreender com maestria, comece agora mesmo a pintar a sua cerca. Dedique seu tempo a aprender a administrar. Será a sua habilidade como administrador que determinará o seu sucesso como empreendedor. Empreendedorismo é Administração.

Autor: Adm. Leandro Vieira

Fonte: Revista RBA – Edição 111