Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / CFA / Jesus: o maior legado de administração e liderança

CFA

Jesus: o maior legado de administração e liderança

Comments
por imprensa 16/06/2014 15h24
Seu projeto teve tanto sucesso que, passados dois mil anos, continua funcionando e se reciclando. O profissional que deseja ser líder tem uma grande oportunidade de aprender com essa história milenar

 

Hoje muito se fala na gestão por liderança como algo inovador. A mudança de conceito em relação ao famigerado chefe, autoritário e indisponível, é o novo insight da administração. Mas essa forma de gerenciamento, embora muito eficiente, não tem nada de novo. Há mais de dois mil anos um homem deu aula de liderança e recrutou colaboradores que, geração após geração, trabalham em seu projeto por acreditarem no sucesso dele. Quem é esse homem? Jesus Cristo, o maior líder e empreendedor da história. 

Para além de crença e religião, falamos sobre o Jesus histórico que ao longo da vida adquiriu milhares de seguidores. Olhando com atenção, nota-se lições de perseverança, foco, determinação, companheirismo e outros valores ao longo da sua trajetória. Jesus fez uma seleção, reconheceu o potencial de 12 pessoas e as treinou. Seu projeto teve tanto sucesso que, passados dois mil anos, continua funcionando e se reciclando. O profissional que deseja ser líder tem uma grande oportunidade de aprender com essa história milenar. 

Foco/Determinação – Com sua meta traçada, Jesus seguiu sem se desviar do foco. Foi chamado de louco, ridicularizado até, por fim, ser condenado a morte, no entanto, sempre acreditou e nunca desistiu dos seus objetivos. 

Exemplo – Antes de delegar funções, ele ensinava pelo exemplo. Quando se ajoelhou para lavar os pés dos apóstolos ensinava humildade e companheirismo. O fato de ser líder não da o direito de subjugar quem é liderado. 

Acessível – Embora fosse o mestre do seu grupo, Jesus estava sempre aberto a opiniões e muitas vezes as pedia. 

Comprometido – Sempre atento aos seus colaboradores, ele prezava pelo bem estar de todos. Entendia e fazia entender que uma equipe é formada por pessoas e para o grupo estar bem é necessário que cada parte também esteja. 

A liderança de Jesus está sendo redescoberta. Há muito tempo, o líder havia deixado de ser líder para se tornar o chefe mandão e arrogante, posicionando-se acima e a parte da equipe. Essa maneira de administrar não condiz com o maior exemplo de sucesso que temos na história. É indispensável abraçar a equipe para transformá-la em unidade. 

A solidez de um conjunto bem guiado leva ao ciclo do sucesso: problema se resolve com trabalho, que se transforma em resultado, que gera satisfação, que, por fim (ou recomeço), alimenta o desejo de resolver problemas. Essa foi a estratégia do líder de maior sucesso na história. Por que não adotá-la em nossas rotinas?

 

Adm. Sebastião Luiz de Mello

Presidente do Conselho Federal de Administração (CFA)