Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / CFA / Liderança questionada

CFA

Liderança questionada

Muito se fala sobre o perfil do líder moderno. Ser carismático, motivar colaboradores, saber ouvir e dar feedback, por exemplo, são (ou deveriam ser) características fundamentais para quem está à frente de um grupo ou projeto. Mas quais são as principais deficiências da liderança? Para responder a essa pergunta, o especialista no assunto Alexandre Prates realizou um estudo chamado “O Mundo Corporativo do Futuro”, que deu origem ao livro “A Reinvenção do Profissional”.

 

Com as entrevistas feitas com 50 profissionais, entre empresários, líderes, executivos e especialistas de mercado e desenvolvimento humano, envolvendo 15 estados brasileiros, Alexandre Prates conseguiu levantar os cinco comportamentos intoleráveis no líder contemporâneo: morosidade, dificuldade para construir relacionamentos, falta de comprometimento com resultados, pensar pequeno e arrogância.

 

“Apesar de não ser muito agradável, o tema desse estudo é fundamental para uma análise crítica da liderança nas empresas e também para uma autoavaliação dos comportamentos de cada um como líder”, afirma o especialista.

 

Morosidade - Alexandre Prates lembra que o ritmo acelerado do mercado e das organizações atualmente torna obrigatório, por exemplo, que o líder aja com a velocidade necessária para direcionar a organização rumo às mudanças. “A morosidade está totalmente ligada à falta de preparo cultural do líder. E quando eu digo cultura, refiro-me à capacidade de buscar novas informações, de não contentar-se apenas com as informações locais e buscar novas fontes de informação. Quanto mais informações eu possuo, maior é a minha capacidade de tomada de decisão”, explica.

 

Dificuldade para construir relacionamentos - Com relação a esse aspecto, o autor do estudo diz que o líder tem um papel fundamental na construção de locais agradáveis, nos quais as pessoas sintam-se bem para produzir cada vez mais. “Ambientes saudáveis são propícios para a construção de relacionamentos saudáveis. E quando você tem um ambiente no qual as pessoas queiram estar, provavelmente é lá que elas se sentirão motivadas a permanecer e prosperar”.

 

Falta de comprometimento com resultados - “O líder contemporâneo precisa pensar em resultados, seja na sua atuação no campo, na liderança de sua equipe, enfim, o mundo corporativo sempre terá espaço para quem quiser realizar e fazer acontecer. Naturalmente, descartará a passividade e o conformismo”, afirma Alexandre Prates.

 

Pensar pequeno - A equipe é a cara do líder. Conscientes disso, as empresas querem líderes que pensem grande, que sonhem, que ousem, que inovem, que façam as pessoas sonharem. “Um líder com desejo de ir além constrói equipes que lutam por um propósito. Pensar grande é focar no presente, com o olhar para um propósito maior.”

 

Arrogância - Trata-se do primeiro passo para a queda profissional. “É insuportável conviver com pessoas arrogantes em qualquer cenário da vida, principalmente no mundo corporativo. A arrogância destrói a capacidade de aprendizagem do ser humano, pois cria barreiras muitas vezes instransponíveis, geradas pela crença de que tudo sei. É ai que mora o perigo!”, alerta Alexandre Prates.

 

Fonte: www.carreiras.empregos.com.br

registrado em:
comentários do blog alimentados pelo Disqus