Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / CFA / Prêmio Guerreiro Ramos

CFA

Prêmio Guerreiro Ramos

CFA define os vencedores do Prêmio Guerreiro Ramos de Gestão Pública

Incentivar o desenvolvimento de trabalhos no campo da gestão pública e social e divulgá-los amplamente é o principal objetivo do Prêmio Guerreiro Ramos de Gestão Pública, concedido pelo Conselho Federal de Administração (CFA). No dia 28 de agosto, o Comitê de Julgamento do prêmio reuniu-se para avaliar os trabalhos inscritos. Participaram do encontro o coordenador da comissão e vice-presidente do CFA, Adm. Sergio Lobo; a Conselheira Federal, Adm. Aldemira de Assis Drago; a Conselheira Federal e Diretora da Câmara de Gestão Pública do CFA, Adm. Ione Macêdo de Medeiros Salem; e os professores da Universidade de Brasília (UnB), Adm. Jorge Fernando Valente de Pinho e Suylan de Almeida Midlej e Silva.

Os interessados em participar do prêmio concorreram em duas categorias: “Gestor Público” e “Pesquisador Guerreiro Ramos”. Contudo, esta última modalidade não recebeu inscrições, o que estimulou Comissão a promover mudanças nas próximas edições do Prêmio

Já a categoria “Gestor Público” recebeu três indicações, sendo uma do Conselho Regional de Administração do Espírito Santo (CRA-ES) e duas do Conselheiro Federal do do Estado de Alagoas, Adm. Armando Lobo. Após ampla discussão e avaliação do Comitê, o vencedor da modalidade “Gestor Público” foi o candidato Sebastião Carlos Ranna de Macedo.

O Comitê concedeu, também,  menção honrosa ao candidato Adm. Francisco de Assis Barbosa da Silva pelos relevantes serviços prestados à Gestão Pública.

Sobre o Prêmio Guerreiro Ramos de Gestão Pública – Criado pelo CFA, o Prêmio faz uma homenagem a Alberto Guerreiro Ramos, professor que teve grande relevância política e acadêmica. Por meio dele, pretende-se resgatar e valorizar o saber construído no pensamento crítico em conexão com a realidade social. Além disso, o Conselho quer reconhecer os profissionais que, no exercício da atividade pública e empresarial, têm responsabilidade de repensar e desenvolver as organizações, se revelando capaz de dar às pessoas um sentimento de verdadeira participação social e de cidadania.