Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / CFA / Quando o engajamento dos alunos vale mais que o conteúdo

CFA

Quando o engajamento dos alunos vale mais que o conteúdo

Comments
por imprensa 05/08/2014 11h05
As empresas e instituições de ensino devem se preocupar com a gestão de processos

Apesar de um dos grandes diferenciais dos cursos à distância ser o conteúdo de qualidade, cada vez mais as empresas e instituições de ensino têm se dado conta que manter os alunos motivados é fundamental. Buscar o engajamento dos estudantes é a forma mais prática dos professores garantirem que todos sejam capacitados a altura.

Quando envolvidos no processo, os colaboradores de uma empresa se interessam mais pelo curso e chegam a influenciar uns aos outros. Com isso apresentam um melhor desempenho em suas funções. A corporação, por outro lado, ganha por conta do investimento garantido no curso de e-learning, sem desistências. No caso de universidades que disponibilizam disciplinas online, o pouco engajamento dos alunos implicará na alta taxa de evasão, causando prejuízos financeiros à instituição.

Como, tornar então, um curso à distância atrativo o suficiente para evitar todos esses problemas? Deve-se levar em conta diversos fatores, como a facilidade de acesso ao material, o horário escolhido para o estudo e as possíveis dificuldades de interação com a plataforma. A experiência mostra que cursos que oferecem uma plataforma compatível com dispositivos móveis, como tablets e smartphones, obtem 25% mais acessos do que os hospedados em um sistema não compatível com o mobile.

A tecnologia da plataforma também deve se adaptar ao aluno, uma vez que qualquer ruído que dificulte o acesso ao conteúdo pode influenciar sua desistência ou desinteresse. Nesse caso, é fundamental uma plataforma compatível com todos os sistemas operacionais, como iOS, Android, Windows, etc, e que suporte todos os formatos de conteúdos, como vídeo, Scorm, aula ao vivo, apresentações em Power Point, entre outros.

Depois que todos esses pontos forem desenvolvidos, é preciso pensar no conteúdo a ser apresentado. No Brasil, várias empresas criam materiais muito bons, além de designers criativos que – juntos - oferecem aprendizagem de qualidade.

Além do envolvimento dos alunos, as empresas e instituições de ensino devem se preocupar com a gestão de processos. Uma sugestão é analisar e mensurar os comentários dos alunos, além de seus rendimentos nas provas e nas atividades propostas. Com essa bagagem é possível prever alguns cenários e de forma estratégica, propor soluções de forma mais rápida garantindo a permanência e os interesses dos alunos.

Nilson Filatieri  é engenheiro e empreendedor. Fundador da startup EadBox, que fornece soluções de e-learning para empresas como IBM, Reckitt Benckiser, Grupo Buscapé, Grupo Impacta, Grupo Solera, Associação Brasileira de Bancos, entre outras.

 

Fonte: Administradores (http://administradores.com.br/).