Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / CFA / Reflexões sobre Liderança e Mentalidade

CFA

Reflexões sobre Liderança e Mentalidade

Comments
por imprensa 26/09/2016 09h16
O artigo tem como objetivo refletir acerca da mentalidade que a maioria dos lideres hoje possuem.

Qual o problema com grande parte dos líderes do Século presente? Como melhorar o desempenho de gerenciamento humano exercido nos dias de hoje? A resposta para essas perguntas passa por coisas que muitos MBA’s nem mencionam em suas disciplinas: caráter e personalidade.

Não adianta se entupir de filosofia da administração. Ler Peter Drucker não se transforma em um líder, ler Falconi não o faz ser melhor gerente se todo esse conhecimento não atingir a camada mais funda do seu ser: a alma.

Tem gente que simplesmente não quer mudar. Acreditam estarem certos em tudo. Não ouvem ninguém, e se são contrariados simplesmente alteram a voz. São intransigentes, mesquinhos, controladores, gostam de fomentar confusão e nunca resolvem os conflitos. Na verdade, criam um quando estes ainda nem existem.

O que fazer com essas pessoas? Como mudá-las? Transformação se inicia com entendimento e consciência da necessidade de mudança. O individuo que se acha certo em tudo não mudará. Sempre se colocará numa situação de coitadismo, vitimismo ou superioridade. Cuidado com a frase: "Ninguém me entende". O mundo pode estar de ouvidos abertos, mas é preciso saber se comunicar.

O Século XXI deu luz a uma geração que coloca seus desejos em primeiro lugar. Crescemos aprendendo a colocar a culpa no outro, mas nunca admitir os nossos erros. Não pensamos duas vezes ao apontar o dedo. Uma nota ruim numa prova pode ensejar um discurso de lamúria com o professor.

Em meio a esse cenário paira muitas duvidas: O que será das Organizações no futuro? Como esperamos uma Economia melhor e uma Sociedade mais justa e Solidária, com pessoas tão egoístas e sem compaixão? Muitos diriam que é necessário investir em Educação. Colocam a crença em um sistema de formação maior e que aborde temas humanísticos, pensam ser esta a solução.

Ledo engano. Como ficam as pessoas que já possuem formação escolar? Como reeducar esses líderes que já ocupam os cargos mais importantes? Não se trata de saber Direitos Humanos ou Filosofia, mas sim mudar a forma de pensar que a Sociedade tem ao não enxergar no outro um pedido de ajuda.

Alias, nossa incapacidade de sensibilizarmos diante dos problemas ao nosso redor reflete nossa má formação e forma errada de pensar. O Capitalismo que vem sendo praticado ao longo dos anos é eivado de preconceitos egoístas e anti-solidários.

Como se lê diariamente nos Jornais, esse modelo econômico está entrando em colapso. Disputar a maior parte do bolo não proporcionará uma Sociedade próspera e equilibrada. O mundo precisa aprender o que significam palavras como perdão, compaixão e respeito, além é claro de saber como exercê-las.

A mentalidade para a revolução econômica e social necessária vai surgir quando aprendermos não apenas a dividir o bolo, mas a nos tornarmos e ensinarmos aos outros a serem confeiteiros no mundo, criando bolos econômicos, sociais, emocionais e culturalmente saudáveis, com o objetivo de ser repartido por todos, alimentando um mundo melhor.

Fonte: Administrores.com