Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / [CFA] / [ CFA ] CFA adere à campanha “10 Medidas contra a Corrupção”

CFA

[ CFA ] CFA adere à campanha “10 Medidas contra a Corrupção”

Comments
por imprensa 21/08/2015 17h40

Iniciativa do MPF contará com a contribuição do Sistema CFA/CRAs para a coleta das assinaturas que irão subsidiar projetos de lei

O Presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Adm. Sebastião Luiz de Mello recebeu nesta quinta-feira, 20 de agosto, o Conselheiro do Conselho Nacional do Ministério Público, Fábio George Cruz da Nóbrega. Na reunião, que contou também com a presença do Diretor de Administração e Finanças do CFA, Adm. Armando Lobo e dos coordenadores e assessores da autarquia, Sebastião Mello oficializou a adesão do CFA a campanha “10 Medidas contra a Corrupção”, do Ministério Público Federal (MPF).

De acordo com Fábio, a corrupção é fenômeno complexo, presente em várias camadas da sociedade. A sensação de impunidade, segundo ele, é o que motiva os recorrentes atos de corrupção. Por causar tantos males ao país, a situação está “a demandar a atuação cada vez mais integrada entre o Ministério Público brasileiro e as mais diversas representações públicas e da sociedade civil organizada, em um esforço conjunto pela construção de um país mais ético e justo.”. “A ideia, portanto, é a de construirmos, juntos, um canal permanente de diálogo e colaboração em prol das mais diversas iniciativas que sejam adotadas nesse campo”, explicou.

Uma das iniciativas do MPF contra a corrupção e a campanha “#corrupçãonão”. Realizada em 21 países, a iniciativa quer mobilizar o maior número de pessoas possível em torno de uma ideia simples: o primeiro passo para acabar com esse problema é dizer "não" a qualquer atitude corrupta.

Outra iniciativa importante é a campanha “10 Medidas Contra a Corrupção”. Segundo Fábio George, a proposta quer mobilizar o país “a coletar assinaturas para a apresentação de um projeto de lei de iniciativa popular que venha a possibilitar a punição rápida e rigorosa daqueles que praticam atos de corrupção em nosso país, acabando com o tão alardeado fenômeno da impunidade.”.

O trabalho teve início com os estudos desenvolvidos pela força-tarefa do MPF na Operação Lava Jato. A meta do MPF é reunir 1,5 milhão de assinaturas. Sebastião Mello manifestou total apoio a causa e se comprometeu a mobilizar os Conselhos Regionais de Administração (CRAs) para a campanha e, assim, apoiar a coleta das assinaturas.

O presidente do CFA lembrou, também, que o CFA é um dos Conselhos Profissionais pioneiros no combate a corrupção. “Já há alguns anos que nós, Administradores, estamos empenhados em lutar contra esse mal. Para isso, realizamos campanhas, patrocinamos a publicação de um livro sobre o assunto, entre ações para mostrar que os profissionais de Administração de todo o país, a exemplo do trabalho desempenhado pelo MPF, tem abraçado uma luta contra a improbidade administrativa. Não é à toa, portanto, que o CFA é signatário do Pacto Global e, nesse sentido, apoiamos ações de repúdio a corrupção em todas as suas formas, inclusive extorsão e propina”, disse Sebastião Mello.

Histórico – Em 2011, o lançou o Movimento Brasil Profissional. O objetivo da iniciativa foi reivindicar uma gestão pública mais consciente, formada por profissionais éticos e preparados, cientes da sua conduta e sua posição perante a sociedade. Os interessados em apoiar o Movimento assinaram o manifesto no site criado na época da campanha. Foram colhidas milhares de assinaturas.

No ano seguinte, o CFA apoiou a publicação e o lançamento do livro “Despesa pública e corrupção no Brasil”, de autoria do promotor Ruszel Cavalcante, editado pela Fundação Astrojildo Pereira (FAP). A segunda edição da obra foi lançada na Câmara dos Deputados.

O livro, prefaciado pelo presidente do CFA, Adm. Sebastião Luiz de Mello aborda a malversação dos recursos públicos com base em fatos ocorridos no cotidiano. Os casos denunciados, segundo a obra, possuem um vínculo comum: vício no processo da despesa pública que, gerido de modo consciente, poderia evitar uma série de escândalos. “Ele traz a tona reflexões sobre casos de corrupção no Brasil, o quanto o país gasta com a má gestão pública, para onde vai o dinheiro público e aponta caminhos para tentar eliminar a mancha negra da improbidade administrativa”, elogiou Sebastião na época do lançamento, ressaltando o orgulho do Sistema CFA/CRAs em apoiar a iniciativa do promotor.

Por ser signatário do Pacto Global, o CFA não só apoia ações contra a corrupção como também vem se posicionando perante a sociedade sobre o tema seja por meio de artigos assinados pelo presidente da autarquia, seja por meio de reportagens sobre corrupção. A edição nº 105 da Revista Brasileira de Administração (RBA) – publicação oficial do CFA – trouxe na capa uma extensa reportagem sobre o assunto, com a opinião de vários especialistas, dados sobre o prejuízo que a corrupção causa ao país e como esse dinheiro desviado poderia ajudar a melhorar setores como saúde, educação saneamento e infraestrutura. Acesse a RBA no site www.revistarba.com.br.

 

Assessoria de Imprensa CFA