Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / [CFA] / [ CFA ] Participação nas eleições do Sistema CFA/CRAs é a maior de todos os tempos

CFA

[ CFA ] Participação nas eleições do Sistema CFA/CRAs é a maior de todos os tempos

Comments
por imprensa 26/11/2014 12h05


Apesar disso, CFA estuda melhorar alguns pontos no processo eleitoral para atrair maior número de participantes


As Eleições do Sistema CFA/CRAs deste ano bateram recorde de votação. O pleito aconteceu no dia 15 de outubro – com exceção dos CRAs de Alagoas, Bahia e Paraná cujas eleições foram realizadas em 24 de novembro – por meio da internet e contou com a participação de mais de 60 mil votantes. 

Comparado com a primeira eleição on line, realizada em 2008, o processo eleitoral do Sistema CFA/CRAs teve um salto de quase 38%. De acordo com o presidente do CFA, Adm. Sebastião Luiz de Mello, os números crescem a cada eleição. “Nas eleições de 2008 demos um salto extraordinário quando inauguramos, de forma única, a realização de um pleito eleitoral de amplitude nacional exclusivamente pela internet. Saímos da velha prática manual que tantos recursos consumia, principalmente quando da contagem dos votos que oportunizava a impetração de impugnações de resultados”, diz. 

Para Sebastião, o crescimento no número de votantes mostra que o Sistema CFA/CRAs está conseguindo atrair e sensibilizar a participação de mais profissionais de Administração, fortalecendo o processo democrático. “Passadas as eleições, podemos considerar que temos um panorama que nos permite avaliar o processo eleitoral deste ano e seus resultados com vistas ao aperfeiçoamento das eleições futuras”, explicou. 

A próxima eleição do Sistema CFA/CRAs acontecerá em 2016 e, ao que tudo indica, o sistema de votação on line continuará por apresentar-se seguro e ágil, segundo laudo da auditoria externa realizada pela Securiy Labs Research Inteligence. Apesar disso, o presidente do CFA reconhece que algumas mudanças precisam ser consideradas. 

Uma das mudanças propostas é a desnecessidade de preenchimento, no sistema eletrônico, do pedido de registro de chapa. “Esse aspecto introduzido para as eleições de 2014, embora a princípio com o melhor intuito de desburocratização, não atingiu o objetivo desejado. Ao contrário: foi o responsável por inúmeros pedidos de impugnações”, explica Sebastião Mello. 

Outro ponto a ser levado para as próximas eleições é a descentralização, visando uma maior participação dos CRAs no processo eleitoral. Para isso, estuda-se a possibilidade de as Comissões Eleitorais Regionais passarem a ter a responsabilidade, em primeira instância, de promover o registro das chapas concorrentes e de passarem a decidir sobre os pedidos de impugnações, além de toda e qualquer questão de cunho eleitoral. Caso ocorra irresignação em relação à decisão regional, poderia o interessado recorrer ao órgão maior, ou seja a CPE/CFA como órgão de segunda instância. 

Com essas propostas, Sebastião acredita que as eleições vão atrair mais interessados, redundando numa maior participação. Além disso, propõe-se que a CPE/CRA possa ser integrada por profissionais de Administração sem mandato eletivo no Sistema CFA/CRAs registrados e em dia com o CRA ao qual estejam vinculados, além de ilibada reputação. “Acredito que, com essas atitudes, será possível que as eleições atraiam maiores interesses redundando numa maior participação”, afirma o presidente do CFA. 

Estatísticas - Embora o índice total no número de votantes não possua a amplitude desejada pelo Sistema CFA/CRAs, em alguns CRAs a participação foi bastante expressiva. São os casos do Acre – 52,764% ; Amapá - 51,954 %; Distrito Federal - 40,915 %; Espírito Santo - 51,199 %; Goiás - 40,324 %; Mato Grosso do Sul - 48,976 %; Paraíba - 45,346 %; Piauí - 45,883 %; e Roraima - 50,492%. 

“É preciso considerar, também, os elevados números de votos nulos e em branco”, salienta Sebastião. De acordo com os resultados – clique aqui e confira os dados com maior riqueza de detalhes - somando-se todos os votos brancos e nulos para o CRA e para o CFA tem-se: Rio de Janeiro: 41,60%; - Minas Gerais: 38,21%; - Rio Grande do Sul: 32,59; - Tocantins: 27,20%; - Sergipe: 24,28; - Paraná: 24,01%; - Pará: 20,92%; - São Paulo: 18,05%; e - Mato Grosso: 16,54%. Por outro lado em Roraima, apenas 2,80% dos votos foram brancos e nulos (somados todos os votos nulos e brancos para o CRA e para o CFA). 

Divulgação é ponto chave – Em relação às eleições de 2012, o pleito do Sistema CFA/CRAs deste ano teve relevante crescimento: foram 62.838 votantes em 2014 – quase 9 mil a mais que em 2012. Entretanto, Sebastião defende a necessidade de dar maior destaque ao processo eleitoral do Sistema, visando sensibilizar os profissionais de Administração a participarem mais intensamente. 

Na Eleição deste ano, o CFA enviou mais de 1 milhão de e-mails marketing, além de produzir matérias e reportagens para o site, a revista RBA, a Rádio ADM e outros veículos de comunicação da autarquia. Foi realizada, ainda, ampla divulgação na imprensa. 

Além disso, cabe também aos CRAs, conforme disciplina o Regulamento das Eleições, dar ampla divulgação de todos os assuntos pertinente ao processo eleitoral. Para auxiliá-los, o CFA produziu e disponibilizou peças publicitárias e textos de divulgação. “Temos a certeza que para 2016, com o aperfeiçoamento das regras eleitorais e mediante plano de marketing que envolva todos os CRAs e o CFA, a participação dos eleitores alcance índices realmente significantes”, defende Sebastião Mello, aproveitando para agradecer as Comissões Eleitorais dos CRAs e do CFA e os presidentes dos CRAs pelo trabalho realizado nas Eleições.

 

Assessoria de Imprensa CFA

Conteúdo
ELEIÇÕES DO SISTEMA CFA.pdf by imprensa — last modified 26/11/2014 12h01