Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / [CFA] / [ CFA ] Reunião na Casa Civil discute a inclusão do Administrador no Ciclo de Gestão do Estado

CFA

[ CFA ] Reunião na Casa Civil discute a inclusão do Administrador no Ciclo de Gestão do Estado

Comments
por imprensa 27/06/2014 16h29

O presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Adm. Sebastião Luiz de Mello esteve hoje, 27 de junho, na Casa Civil da Presidência da República. Na oportunidade, ele se reuniu com a Assessora Especial da Casa Civil, Leila de Morais, para falar sobre a inclusão do Administrador no Ciclo de Gestão do Estado. A reunião também contou com a participação do presidente do Conselho Regional de Administração do Distrito Federal (CRA-DF), Adm. Carlos Alberto Ferreira Júnior; do Conselheiro Federal, Adm. Rui Ribeiro de Araújo; e do Assessor Jurídico do CFA, Adv. Alberto Jorge Santiago. 

Na reunião, o presidente do CFA explicou as razões pelas quais o Sistema CFA/CRAs vem, desde 2000, pleiteando a criação da carreira de Administrador Público com todas as vantagens do Ciclo de Gestão do Estado. Ele destacou, inclusive, o parecer feito pelo Dr. Cretella Júnior sobre o assunto, no qual ratifica a necessidade do Administrador fazer parte deste Ciclo. 

O presidente do CRA-DF corroborou com a defesa de Sebastião Mello, defendendo as competências profissionais do Administrador. “Se tem alguém que vá cuidar de gestão pública, esse alguém deve ser o Administrador”, explicou. 

A Assessora Especial disse compreender o pleito do Sistema CFA/CRAs, pois além de bacharel em Direito, é Administradora. Ela recebeu e protocolou o ofício com as proposições do CFA e o parecer do Dr. Cretella Júnior. “Vamos analisar o material. Enquanto Casa Civil, iremos fazer a interlocução entre vocês e os demais Ministérios e órgãos, mas adianto que a demanda precisa, primeiramente, ser encaminhada para o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Vamos encontrar a pessoa mais adequada no MPOG para tratar do assunto e, a partir do posicionamento deles, vamos saber que tipo de procedimento adotar”, garantiu Leila de Morais.