Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / [CFA] / [ CFA ] XXIII ENBRA - Seca pode ser problema de gestão

CFA

[ CFA ] XXIII ENBRA - Seca pode ser problema de gestão

Comments
por imprensa 31/10/2014 20h02

Quem nunca ouviu falar em seca no sertão e na dificuldade em prover melhores condições de vida à população do semiárido? Foi justamente sobre esses assuntos que o ex-secretário de recursos hídricos do Ceará, Hypérides Macedo, falou na palestra de abertura do último dia do XXIII Encontro Brasileiro de Administração (ENBRA).

Primeiramente, Hypérides deu um panorama a respeito da causa da seca. “O problema não é a falta de chuva. O nordeste faz parte de 25% das regiões do mundo com maior incidência pluvial”, afirmou o ex-secretário. A informação chocou o público, mas as elucidações do palestrante deixaram claro o porquê da afirmação.

Segundo Macedo, o solo nordestino é heterogêneo como um mosaico, diferente do cerrado que possui uma terra vermelha homogênea em toda extensão, por exemplo. Em algumas áreas o terreno é rochoso, praticamente impermeável, porém existem faixas de terra fértil e absorsora de água.

“Os açudes são responsáveis por prover abastecimento de água nas regiões áridas do nordeste”, informou o conferencista. Mas explicou em seguida, “no entanto, não adianta levar água para ambientes de solo impróprio porque eles não produzirão nada”. De acordo com ele, é preciso estudar o solo para administrar a distribuição de água.

Projetos como o da transposição do Rio São Francisco e os de reforma agrária precisam ser revistos e melhores gerenciados. “São ideias boas e que podem funcionar se aplicadas da maneira corretar”, explicou Hypérides.

“Os estados fizeram estradas onde não tinha água, levaram água para onde não tinha solo agricultável e isso culminou em um desperdício de recursos e na não produtividade desejada”, comentou o palestrante. E completou, “a reforma agrária, por sua vez, leva pessoas a regiões improdutivas. Isso gera atraso e prejuízo na vida dessas pessoas e do estado”.

Hypérides Macedo defende o uso eficaz dos recursos disponíveis para o combate a seca. Conforme explicado, os açudes devem ser alimentados por canais saídos de rios e riachos. Esses canais têm de levar a água por caminhos onde exista terra própria para agricultura.

Antes de encerrar a conferência, Macedo alertou para a necessidade de revisão da reforma agrária na região. “O ideal é que se levem família para áreas de solo bom e, juntamente com elas, leve a água por canais e canaletas para produção e consumo”, encerrou.