Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / [CFA] / [ CFA ] XXIII ENBRA - Seca: um problema transponível

CFA

[ CFA ] XXIII ENBRA - Seca: um problema transponível

Comments
por imprensa 12/11/2014 16h13

Deputado estadual do Ceará e Ministro da Integração Nacional debatem os problemas e soluções para as secas no semiárido

Abrindo a última tarde de encontro, subiram ao palco do XXIII ENBRA o Deputado Estadual do Ceará, Sérgio Aguiar, e o Ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira. O assunto abordado foi de extrema importância e pertinência para o momento vivido no país. “Seca: qual a modelagem organizacional e gerencial requerida para amenizar e solucionar o problema” foi o tema da palestra.

Primeiro a falar ao público, o deputado Aguiar começou por lembrar que o antigo problema da seca já não é mais isolado em apenas uma região do Brasil. “Hoje a seca não se restringe ao nordeste. Como tem sido divulgado nos noticiários diariamente, São Paulo está enfrentando o mesmo problema atualmente”, lembrou o deputado.

O desenvolvimento humano sem a água torna-se precário, social e economicamente. Regiões do Ceará vivem uma estiagem de três anos e o governo tem buscado soluções. “O projeto ‘Cinturão das águas’ nasceu com o objetivo de realizar adução das águas do rio São Francisco para a maior parte do território cearense”, explica Sérgio Aguiar. A iniciativa do governo já conta com 66,1% das obras concluídas.

Logo após o pronunciamento do deputado, quem discursou foi o Ministro Francisco Teixeira. Ele lembrou que as dificuldades com a seca, e a tentativa de se conviver com ela, é pauta dos governos brasileiros desde o século XIX. “A seca faz parte da cultura do nordeste desde a época da colonização. No século retrasado já se procuravam em armazenar água do período chuvoso para suprir a época de estiagem”, comentou o Ministro.

Falando sobre o projeto do governo para lidar com a seca sem que ela prejudique a população, Francisco Teixeira afirmou que, só este ano, foram perfurados 366 poços artesianos beneficiando 500 mil cearenses. “A região aprendeu com as crises do passado e hoje tem conseguido achar alternativas para superar o problema”, ponderou Teixeira.

A transposição do Rio São Francisco, um dos grandes projetos de irrigação do semiárido, tem previsão de conclusão para 2015. Segundo o Ministro a iniciativa tem os seguintes objetivos estratégicos: superar as desigualdades regionais, ampliar e garantir a eficiência da irrigação, garantir segurança hídrica e erradicar a miséria.

Ao fim da palestra, foi passado um vídeo mostrando a conclusão de uma etapa das obras de transposição do Rio São Francisco e a primeira passagem de água por aquelas adutoras. Após a apresentação, o Deputado e o Ministro abriram espaço para perguntas, esclarecendo dúvidas do público.