Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Notícias / [CFA] / [ CRA-RS ] 'O IPE é a síntese de toda a crise do Estado do RS'

CRA-RS

[ CRA-RS ] 'O IPE é a síntese de toda a crise do Estado do RS'

Comments
por imprensa 23/08/2016 11h24

“Defender o interesse público, fazer gestão e gerar resultado”. A declaração é do presidente do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (IPERGS), Adm. José Parode em CRA Recebe Especial sobre “A nova modelagem do projeto de reestruturação do IPERGS”. Em relação ao tema, o presidente do CRA-RS, Adm. Valter Luiz de Lemos destacou que é preciso trazer ao conhecimento dos Administradores o que está sendo feito na gestão do IPE. “É um cargo complexo em um dos maiores institutos regionais, que está implantando uma gestão de conhecimento, desenvolvendo projetos e enfrentando dificuldades”, apontou, na abertura do evento que ocorreu na manhã desta quarta-feira (03/08) e lotou o auditório do CRA-RS.

O IPERGS hoje concentra-se na gestão da saúde e previdência do servidor público, em que é responsável pelo pagamento de mais de R$ 6 bilhões em aposentadorias e pensões de servidores estaduais e possui mais de novecentos mil segurados em seu plano de saúde. A partir de uma nova modelagem, o presidente Parode explica que foi preciso realizar a lógica da desconstrução. “O IPE é a síntese de toda a crise do Estado do RS. É preciso consolidar o Instituto como gestor e, ainda, fazer mais com muito menos”, afirmou, destacando que assim como os demais órgãos públicos, o IPE também está inserido na crise. O Administrador exaltou tambémque é preciso estabelecer um mapa estratégico de atuação prevendo uma gestão por resultado, equilíbrio financeiro e transparência.

Hoje, o Instituto conta com 460 servidores, destes 284 são efetivos. O presidente revela que 55% do custo da folha do Estado são voltados para inativos e pensionistas, causando um déficit previdenciário em relação ativo e inativo. “A principal questão causadora do saldo devedor é o gênero, isso é, a maioria são mulheres, que podem se aposentar com 5 anos a menos. Para agravar, 68,37% da população têm direito à aposentadoria especial”, lamentou. Com a reestruturação do órgão, uma das metas é instalar as condições mínimas de conhecimento, inteligência e tecnologia. “Os governos e a própria sociedade não se deram conta da importância do IPE. O maior problema financeiro do Estado é o déficit previdenciário. Acabaram as mágicas, é preciso enfrentar com atitudes para reverter essa situação”, exaltou.    

Em relação ao seu papel como gestor em órgão público, o Adm. explicou que no Estado tudo é muito complexo, pois se você tomar uma atitude divergente do tradicional, você será “atacado”. “É um risco que tu assume como gestor. Porém, vale a pena. Já conseguimos muitas realizações como o cancelamento de 57 pensões de filhas solteiras com uma economia estimada de R$ 70 milhões”, realçou.

No fechamento do CRA Recebe, o Adm. Valter Luiz de Lemos, complementou enaltecendo o fato de que o Estado trabalha com modelos da década de 50, em que as pessoas viviam até os 60 anos de idade. “Necessita-se de uma gestão com diagnóstico adequado, fazer uma reanálise como fizemos aqui, além, de claro, a valorização do Administrador por quem tem a responsabilidade de decidir o destino do Estado”, frisou.

Ainda, na oportunidade, o Presidente do IPERGS, Adm. José Parode, foi comunicado que será o agraciado no Prêmio Mérito de Administração no setor Público.

Fonte: CRA-RS